Acompanhe o nosso blog com dicas úteis para o mundo digital: SEO, redes sociais, conteúdo, design … web >

6 Princípios de UX para Web design

Todos os dias navegamos em imensos sites consoante as nossas necessidades, às vezes em poucos minutos já entrámos em 20 páginas e não encontramos o que queríamos. Porquê? Neste artigo destaco 6 práticas para ajudar a experiência do utilizador.

Inês Victorino
Jun 22 • 3 min leitura
6 Princípios de UX para Web design

1. O design tem de vir da experiência do utilizador
Em vez de colocar toda a informação ao dispor do utilizador, porque não criar uma experiência ao navegar pelo site? Criar uma história e narrativa que consiga tornar o website memorável. Um site inesquecível tem que ter uma harmonia perfeita entre elementos gráficos, layout, texto e elementos interativos que ao trabalharem em conjunto apresentam ao utilizador uma ‘viagem’, e não apenas informações. Cada vez mais vemos os sites com qualidades visuais e interativas para captar a emoção do utilizador e ajudá-los a destacar-se neste mundo altamente competitivo.

2. Os sites são apreciados, não lidos
Os utilizadores não leem os conteúdos por inteiro, mas sim percorrem o site com os olhos. Através de infografias e elementos visuais o scroll do site torna-se uma experiência visual com instruções e dados em vez de apenas texto corrido. A maioria dos visitantes procuram algo que lhes chame a atenção e só depois alteram para o “modo leitura” quando quiserem descobrir mais.

3. Os utilizadores querem simplicidade
Em apenas meio segundo os utilizadores decidem se querem ou não permanecer na página, avaliam todos os elementos - alguma coisa muito diferente ou não intuitiva fará com que o utilizador fique frustrado e desista do resto da navegação. Para atingir essa simplicidade deve ser fácil encontrar botões e os menus, respeitando sempre os comportamentos e processos gerais que já conhecemos nos outros sites.

4. Aproveitar elementos comuns
O mais importante para o design se destacar não é criar algo completamente diferente e inavegável. Os elementos comuns ajudam o utilizador a reconhecer ações padrão que se repetem por todos os outros online. Queremos que o design tenha uma aparência familiar, na qual objetos padrão, como links, se destacam como links, e o acesso ao login esteja localizado sempre no canto superior direito. Não há necessidade de deslocar esses componentes padronizados.

5. Conhecer o utilizador
Ao conhecer o público-alvo do website, será muito mais fácil planear e desenhar as páginas. Conseguimos prever comportamentos e dificuldades e prevenir que os utilizadores cheguem a becos sem saída. O design deve responder às necessidades e desejos dos utilizadores. Para conhecer melhor o seu publico o melhor é analisar os seus concorrentes, como é que eles se apresentam online através por exemplo do layout, estilos e até cores.

6. Hierarquia Visual
Destacar sempre os elementos importantes com clareza e por ordem. O tamanho, cor, alinhamentos, distâncias e a repetição fazem com que os utilizadores se concentrem neles e encontrem rapidamente o que precisam.

Os utilizadores precisam ter uma ligação emocional com a experiência de viajar pelo website. Se criarmos apenas uma interface e não uma experiência, há poucas hipóteses do site se tornar inesquecível e único para os utilizadores. O layout do website deve ser simples de navegar, fácil e intuitivo de usar e respeitar as cores e fontes adequadas para o seu público e identidade da marca.

Atenção, o seu browser está desactualizado.
Para ter uma boa experiência de navegação recomendamos que utilize uma versão actualizada do Chrome, Firefox, Safari, Opera ou Internet Explorer.